programação neuro linguistica:PNL

A programação neurolinguistica

A PNL tem como objetivo decodificar nosso software interno e reprogramá-lo de maneira positiva. Ajuda a desenvolver comportamentos bem-sucedidos aprendendo a mobilizar os próprios recursos.

Particularmente eficaz para resolver problemas pontuais. Um de seus pontos fortes é que ele possibilita ser autônomo graças ao aprendizado de muitas ferramentas acessíveis e reproduzíveis.

Assim como sabemos criar problemas, sabemos como criar soluções. Então você pode usar sua atenção, sua inteligência, sua criatividade, sua força emocional para o maior benefício de sua evolução.

Trata-se de aprender como fazer o que você quer, replicando os comportamentos daqueles que tiveram sucesso. A PNL ajuda a criar motivação e autoconfiança para alcançar qualquer objetivo.


QUAIS SÃO OS BENEFICIOS

aumento da autoconfiança – mudanças profundas e duradouras – gerenciar a concentração – melhorar a eficiência – ajudar a definir metas – remover maus hábitos – administrar emoções – remover barreiras limitadoras – melhorar a comunicação – mudar crenças – aprender para se comunicar melhor – para resolver conflitos – para aliviar as tensões.

A arte da PNL é fazer distinções Portanto, distinções claras devem ser feitas no vocabulário da PNL: ferramentas de PNL, mapas de PNL, modelos de PNL e técnicas de PNL e pressupostos de PNL.

A PNL não existe porque não tem forma, não produz ruídos, nem cheiro, nem gosto, nem sensação, e é difícil segurá-la na palma da sua mão. Ou, como Richard Bandler diz, você não pode fazer pequenas pilhas com PNL.

O que existe e pode ser apreendido pelos cinco sentidos é o processo de comunicação, aprendizagem ou mudança que os indivíduos precisam para alcançar objetivos de curto ou longo prazo.

Um processo é um conjunto de ações, operações ou eventos com um propósito específico. Um processo de PNL descreve como os indivíduos organizam sua subjectividade para alcançar um resultado.

Um movimento que solicita nossos pensamentos, nossos sentimentos e nossos comportamentos.

E quanto a qualquer movimento, esse movimento é tanto mais efetivo que depende de habilidades, ele se prepara com modelos para simulações, é guiado por boas cartas, que é facilitado por equipamento apropriado em termos de ferramentas e técnicas, e é encorajado por uma série de crenças e suposições

. Para entender melhor o conteúdo de um treinamento em PNL, o primeiro passo é definir os termos que acabamos de usar.

As pressuposições: são as crenças ou regras inconscientes que predizem que o acompanhamento das instruções de um plano (o mapa) concerne a implementação de certas habilidades / aptidões e comportamentos e o uso dos instrumentos (ferramentas) de uma certa O caminho (técnico) irá ou não alcançar o resultado desejado.

Habilidades e Habilidades: A habilidade é a disposição inconsciente ou “natural” de um indivíduo e serve para facilitar o desempenho de diferentes tarefas. Do ponto de vista da PNL, isso significa que a pessoa já “incorporou” as crenças ou suposições necessárias para realizar a tarefa.

A capacidade é a manifestação concreta das habilidades desenvolvidas. Do ponto de vista da PNL, estamos no nível de mapas mentais (plano de coordenação) e comportamentos (Ação).

Habilidades e habilidades preexistem, em diferentes graus e em diferentes níveis de consciência, à aprendizagem da PNL. É isso que os formandos comentam dizendo: “Eu fiz isso sem perceber que sabia fazer ou sem saber que era assim chamado; Eu estava fazendo PNL sem saber.

A PNL fornece referências claras para aumentar a conscientização sobre os processos de comunicação, aprendizado e mudança. Esse ganho de consciência facilita a modelagem de si e dos outros, aprendendo.

Mas a PNL não inventa os processos que descreve, mesmo que lhe dê um rótulo verbal (calibração, relatório … etc.) próprio.

Exemplos: muitas pessoas sabem como estabelecer o relacionamento (relato), observar minuciosamente (calibração), questionar a falta de rigor do pensamento (meta modelo), bem antes de fazer o treinamento em PNL. Mapas: Um mapa é uma representação bidimensional das características de uma terra ou território.

O mundo de um individuo

O mapa do mundo de um indivíduo é o conjunto de suas representações internas e esse mapa resulta de um processo individual de modelagem e interpretação da realidade percebida.

O mapa mental de uma pessoa para uma determinada atividade reúne as informações necessárias para a implementação de uma habilidade.

 

Um mapa de PNL é uma representação gráfica ou esquemática bidimensional de uma situação para facilitar a orientação, compreensão e análise (como um mapa ou roteiro) Exemplos: o mapa de experiência subjetiva (Índice de Computação), o mapa de nível lógico e qualquer desenho ou diagrama que ilustre um conceito de PNL

Modelos: Um modelo é o que tem certas qualidades “ideais” e pode servir como base para a imitação, a chamada “modelagem” na PNL.

O modelo também é uma representação simplificada e tridimensional de um processo que facilita não entender, mas sim experimentar ou simular ações.

(modelos de um carro ou barco simulam engarrafamentos ou navegação durante uma tempestade) Exemplos:

Modelo TOTE, SCORE, SOAR, modelo de peças, Meta-modelo, Modelo Milton. Ferramentas: são objetos ou instrumentos finalizados, externos ao indivíduo e usados ​​pelo indivíduo para aumentar a eficácia de sua ação.

As ferramentas da PNL estão acima de todos os modos de pensamento que servem para desenvolver modos de intervenção (por exemplo, técnicas).

Como aqueles na minha caixa de ferramentas, martelos e alicates de NLP podem ter múltiplos usos, como conserto, desmontagem ou construção. Exemplos: Análise contrastante, ressignificação, âncoras, metáforas, níveis lógicos

As técnicas: é o conjunto dos processos implementados em um ofício, uma arte, uma ciência … É, portanto, a maneira de usar as ferramentas em um determinado contexto, a fim de obter um resultado tangível.

Por exemplo, como usar um cinzel de madeira (a ferramenta) para esculpir é uma técnica; As técnicas de PNL são procedimentos ou sequências de ação que identificam, acessam e aplicam os recursos necessários para alcançar um resultado.

Uma técnica de PNL permite que você passe de conhecimento / representação para experiência / realização.

A mesma técnica não será usada da mesma maneira, dependendo do contexto. Uma técnica usa habilidades, mapas, modelos e ferramentas. Uma técnica pode ser representada na forma de cartas.

Exemplos: Visual Swish, cultura de seis etapas, mudança de história pessoal, negociação partidária. Notas: Alguns elementos são, dependendo do contexto, mapas, ferramentas ou técnicas, por exemplo:

– Ancoragem de recursos (aptidão) ou desativação de ancoragem negativa (técnica) – A representação de níveis lógicos (mapa) ou alinhamento de níveis lógicos (técnicos)

Uma vez que as distinções feitas dentro do “equipamento de PNL” ainda temos que ver como elas se encaixam em um praticante de PNL ou praticante mestre de PNL.


FONTE: instituto REPERE

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *